MITESS apoia associações de mineiros em Gaza

O governo moçambicano, através do Ministério do Trabalho, Emprego e Segurança Social, presta apoio social a associações de ex-mineiros, em Manjacaze e viúvas, na cidade de Xai-Xai na geração de renda.

O apoio consistiu na entrega de duas embarcações de pesca, igual numero de congeladores e um kit de redes de pesca a duas associações Nhaurogole e Manguenhane, ambas do posto administrativo de Chalala, distrito de Manjacaze.

Na ocasião, a Ministra do Trabalho, Emprego e Segurança Social, Vitoria Diogo, que procedeu a entrega referiu que o Governo não dá peixe para comer durante um mes, mas um meio para pescar e poder trabalhar longos anos.

Os 16 associados passam a ter meios de trabalho na terra natal depois de terem visto findar os respectivos contratos nas minas da África do Sul.

Agora o vosso trabalho está aqui, a natureza deu a Lagoa e nós ajudamos com o meio para vocês gerarem a vossa renda e criarem riqueza para cada família, Vitoria Diogo.   

Os beneficiários congratularam-se com o apoio, pois antes recorriam a uma canoa, uma tábua, para a pesca que para além do risco que decorria, reduzia o esforço dos associados porque só podia levar um pescador em cada investida para a Lagoa.

Disseram ainda que com a recepção dos barcos, redes e lugar para conservar o pescado, as condições estão criadas para aumentarem a captura e consequentemente melhorar as suas vidas e quiçá empregar outros colegas.

Esperança renovada em Chinunguine

Ainda no quadro de criação de condições de trabalho para as viúvas dos ex trabalhadores moçambicanos nas minas da África do Sul, a Ministra do Trabalho, Emprego e Segurança Social, Vitória Diogo, procedeu a entrega da primeira oficina de corte e costura a Associação Esperança no bairro de Chinunguine na cidade de Xai-Xai.

As viúvas dos mineiros produzem uma variedades de artigos que vão desde roupas, cestos e chinelos ornamentados na base de capulana, bijutarias, entre outros. 

Nesta oficina trabalham 16 associadas, porém o numero de beneficiários multiplica-se na medida que, segundo Arlete Sumbane, os filhos e outros dependentes destas usam as máquinas de costura para o processo de aprendizagem.

Arlete Sumbane explicou que os filhos delas beneficiaram de diversos cursos profissionalizantes (pedreiros, electricistas, carpinteiros) ministrados pelo Instituto de Formação Profissional e Estudos Laborais Alberto Cassimo (IFPELAC), mas que tinham dificuldades para conservar o material.

Com a recepção da oficina os nossos filhos terão onde guardar o seu material de trabalho e nós como mães também teremos o controlo de todo o material com que eles trabalham, disse a interlocutora.