INEFP recebe 6,7 milhões de dólares da IYF para formar jovens desfavorecido

 

O Instituto Nacional do Emprego e Formação Profissional (INEFP) e a International Youth Foundation (IYF) – Fundação Internacional da Juventude - assinaram, no passado dia 21 de Julho, na cidade de Maputo, um Memorando de Entendimento para a formação de jovens desfavorecidos, do ponto de vista social e económico, com a duração de cinco anos.

Com 6.200 jovens a serem contemplados com as acções formativas, o memorando assinado na semana passada será implementado pelo INEFP-Central, bem como pelas Delegações provinciais de Maputo, incluindo a Cidade, nomeadamente através dos Centros de Formação Profissional da Machava e da Electrotecnia, respectivamente, de Inhambane (através do C.F.P. de Inhambane) e pelo Centro de Formação Profissional de Tete, sendo que estas últimas duas, isto é, as Delegações de Inhambane e de Tete, só arrancarão com as formações em 2018.

O entendimento prevê a formação de jovens daquelas Províncias em áreas com mercado local, assim como para o auto-emprego, aumentando a relevância da formação técnica e harmonização dos currículos de formação com as necessidades do mercado de trabalho, estando já prevista a introdução e integração de programas de competências de vida e com isso o melhoramento dos serviços de orientação profissional e colocação, incluindo o reforço do sistema de monitoria e avaliação e o aumento das ligações produtivas entre os centros do INEFP e os parceiros do sector industrial.

Para além dos 6.200 jovens moçambicanos beneficiários, o memorando, cujos signatários foram Anastácio Chembeze, Director-Geral do INEFP, em representação do Governo, e Ilídio Caifaz, pela IYF, cobre igualmente a capacitação de formadores do INEFP em habilidades para a Vida, o fornecimento de curricula do PTS para a sua implementação, a capacitação de pessoal dos serviços de orientação e colocação profissional do INEFP, bem como apoio no alcance dos objectivos na promoção de mais empregos, como condição para a redução dos índices de pobreza e para a melhor inserção de jovens no mercado de trabalho.