Ministra do Trabalho destaca a disciplina dos trabalhadores moçambicanos na RAS

O exemplar comportamento dos moçambicanos que trabalham em diferentes sectores de actividade na vizinha República da África do Sul (RAS), com destaque para as companhias mineiras e agrícolas, foi apontado pela ministra do Trabalho, Emprego e Segurança Social do nosso país, Vitória Dias Diogo, como o melhor caminho a seguir, tendo em conta o impacto que o mesmo joga nos processos de recrutamento de mais moçambicanos para fins de emprego.

O encorajamento da ministra, que se encontra em visita de trabalho ao sector agrícola (farmas) daquele país, de 19 a 21 de Outubro corrente, com o objectivo de se inteirar da vida e condições laborais em que se encontram os moçambicanos que trabalham naquele sector, foi feito em Sandton (Joanesburgo), durante o encontro que manteve com a Comissão dos Trabalhadores Mineiros de Moçambique na RAS.

Ainda de acordo com a ministra, a mão-de-obra moçambicana na RAS é das mais apreciadas, graças ao bom desempenho e disciplina laboral que os moçambicanos demonstram nas diferentes companhias, tanto mineiras, como agrícolas (farmas), razão pela qual no processo de recrutamento estas têm privilegiado a proveniente do nosso país, porque, e é sobejamente conhecido, os “nossos compatriotas têm contribuído sobremaneira no cumprimento das metas estabelecidas pelo patronato, assim como pelo seu elevado nível de disciplina e espírito de paz nos locais de trabalho. No encontro, encorajou ainda que no acto da assinatura dos seus contratos abram contas bancárias, como forma de facilitar o processo de reorganização do sector, levado a cabo pelo Governo moçambicano, em parceria com a contraparte sul-africana, para além de tal garantir que os seus rendimentos sejam seguros, em relação ao dinheiro vivo.

Aos Serviços da Administração do Trabalho na África do Sul (SATAS), outrora designados por Delegação do Ministério do Trabalho na RAS, a titular da pasta recordou que a sua assistência aos trabalhadores moçambicanos é permanente e 24 horas por dia, porque é a razão da sua existência naquele país.

Para esta Quinta-Feira, Vitória Diogo agendou encontros com as agências de seguros Mineworkers Provident Fund (MWPF) e a Impala Provident Fund, podendo amanhã deslocar-se à Província de Limpopo, onde participará do fórum do diálogo dos trabalhadores das farmas, em Tzaneen.