Vitória Diogo testemunha inspecção laboral conjunta nas farmas da África do Sul

A Ministra do Trabalho, Emprego e Segurança Social, Vitória Dias Diogo, deixa Maputo amanhã, Quarta-Feira, com destino à vizinha República da África do Sul (RAS), onde efectuará uma visita de trabalho ao sector agrícola (farmas), de 19 a 21 de Outubro corrente, para se inteirar das vida e das condições laborais em que se encontram dos moçambicanos que trabalham naquele sector.

Vitória Diogo, que trabalhará com a sua homóloga sul-afrticana, Mildrand Oliphant, juntar-se-á à equipa técnica que já se encontra naquele país, chefiada pelo respectivo inspector-geral do Trabalho, Joaquim Moisés Siúta, no âmbito da inspecção conjunta Moçambique-África do Sul, na área laboral, que está a ser levada a cabo ao sector agrícola.

A Província de Limpopo, a norte da RAS, é o palco da referida campanha inspectiva conjunta, na região agrícola de Tzaneen, onde trabalham muito moçambicanos, maioritariamente das Províncias d Gaza e Maputo, assim como de outras nacionalidades, sobretudo a zimbabweana. Em Tzaneen, a governante moçambicana reunirá com os trabalhadores moçambicanos, no âmbito do Fórum do diálogo dos trabalhadores das farmas.

Antes de desembarcar em Polokwane, capital provincial de Limpopo, na Sexta-Feira, Vitória Diogo manterá encontros com diversas instituições sul-africanas que trabalham na área de seguros do sector mineiro e agrícola, em Joanesburgo, entre amanhã e Quinta-Feira, nomeadamente a Mineworkers Provident Fund (MWPF) e a Impala Provident Fund, para além da Comissão dos Trabalhadores Mineiros de Moçambique na RAS, em Sandton.

As duas governantes já se encontraram por várias vezes, tanto em Maputo como em Joanesburgo, incluindo noutros fóruns internacionais, como é o caso da OIT, sendo que o presente fórum de diálogo sobre o trabalho nas farmas materializa o compromisso assumido pelos dois lados em Novembro do ano transacto, na Cidade de Maputo, quando foi celebrado um Memorando de Entendimento, visando a criação de sinergias entre os dois governos, que contribuam para a valorização do capital humano, através da concepção e implementação de programas conjuntos e partilha de boas práticas no âmbito de promoção do trabalho digno para os seus concidadãos.