Margarida Talapa de visita à CONSILMO: “NÃO PODEMOS TER PAZ LABORAL NO PAÍS SEM CONTAR COM APOIO DOS SINDICATOS”

A Ministra do Trabalho e Segurança Social, Margarida Adamugy Talapa, reconhece o papel do movimento sindical moçambicano na garantia da paz laboral no país.

Falando por ocasião de uma visita, esta segunda-feira, 12 de Abril de 2021, à Confederação Nacional dos Sindicatos Independentes e Livres de Moçambique (CONSILMO), Margarida Talapa disse que os sindicatos são parceiros sociais estratégicos do ministério que dirige, uma vez que a garantia da paz laboral no país não é uma actividade unilateral do Governo, mas uma acção combinada entre o Executivo, os trabalhadores e os representantes dos empregadores.

Talapa explicou em reunião com os sindicalistas que logo que chegou ao ministério depois de nomeada em Janeiro de 2020 para dirigir o pelouro de Trabalho e Segurança Social, a primeira coisa que fez foi de reunir com os parceiros sociais para pedir o seu apoio, porquanto sabia que o sucesso da sua actividade passava por um bom relacionamento com os seus parceiros tradicionais: a OTM-Central Sindical, a CONSILMO e a CTA.

Por seu turno, o Secretário-geral da CONSILMO, Jeremias Timana, manifestou satisfação pelo facto de o Governo pautar por frequente interacção com os sindicatos, facto que permite promover um ambiente saudável e evitar-se greves frequentes nas empresas, que seriam evitáveis com o diálogo.

Na mesma ocasião, Timana apresentou algumas dificuldades que sua instituição enfrenta no momento. Por exemplo, a CONSILMO tem vindo, alegadamente, a sofrer dificuldades financeiras decorrentes do ambiente político e social que Moçambique vive actualmente, a saber, as calamidades naturais, o conflito político na zona Centro, o Terrorismo em Cabo Delgado e a pandemia da Covid-19 que tem vindo a prejudicar a vida dos trabalhadores moçambicanos.

Jeremias Timana disse que como consequência disso, algumas actividades planificadas não estão a decorrer dentro do previsto. Dessa lista estão a formação de quadros, a realização regular das reuniões estatutárias (Conselho Geral, Comité Executivo e Congresso) bem como a contratação de consultores para assistência, estudos e pesquisas de natureza económica e social para se aferir o impacto de algumas realidades na vida dos trabalhadores e suas famílias.

No fim da visita, Margarida Talapa disse que a instituição que representa mantém as portas abertas para receber as preocupações de seus parceiros sociais. E mais: a governante garantiu que o Executivo continuará a oferecer o apoio necessário para que a actividade sindical no país seja robusta e cumpra os seus objectivos constitucionais e legais, a saber, defender os interesses dos trabalhadores em Moçambique.

A CONSILMO é o segundo maior movimento sindical no país depois da OTM-CS, agregando 5 sindicatos nacionais, 6.626 empresas, 89.909 sócios e 158.019 trabalhadores, dos quais 34.460 são mulheres.